Doença de Legg-Calvé-Perthes
maio 21, 2018
Sequelas de Fraturas
julho 17, 2018

Displasia do Desenvolvimento do Quadril (Luxação Congênita do Quadril)


A Displasia do Desenvolvimento do Quadril (DDQ), que antigamente era chamada de Luxação Congênita do Quadril, é uma doença congênita que pode ser tratada de maneira conservadora – sem cirurgias – ou cirúrgica.

O ideal é que o diagnóstico seja feito ao nascimento ou nas primeiras semanas de vida. Em linhas gerais, casos que são diagnosticados antes dos 6 meses de vida podem ser tratados sem cirurgia, com o uso do Suspensório de Pavlik.

Nos casos em que o tratamento com o Suspensório de Pavlik não tem resultado satisfatório, ou em casos diagnosticados após os 6 meses, as opções que temos para reduzir o quadril – ou seja, coloca-lo no lugar – são cirúrgicas.

Na maioria dos casos de crianças jovens (menores do que 1 ano e 6 meses), a cirurgia de Tenotomia dos Adutores (quando cortamos o tendão da parte interna da coxa) e a aplicação de um Gesso Pelve Podálico por 3 meses é capaz de trazer o quadril para o seu local adequado.

Em crianças acima de 1 ano e 6 meses, ou em casos que o quadril não retorna à posição a partir da cirurgia descrita acima, precisamos realizar a Redução Cruenta do Quadril. Esta cirurgia consiste em abrir a articulação do quadril e realizar alguns alongamentos musculares, a fim de retirar estruturas que não deixam o quadril voltar ao seu local de origem. Nos casos mais graves, também é necessário realizar cortes nos ossos da bacia e do fêmur para conseguirmos um bom resultado.

O Ortopedista Pediátrico é o especialista mais adequado para cuidar dos pacientes acometidos por esta doença. O julgamento de qual conduta tomar frente a cada caso deve ser discutida com seu médico, para que os riscos e benefícios sejam explicados e o melhor tratamento seja escolhido.

Dúvidas sobre o assunto? Entre em contato conosco ou agende uma consulta.
Dr. Luiz de Angeli
Ortopedista Infantil