Pé Torto Congênito
fevereiro 2, 2018
Pés para dentro
fevereiro 16, 2018
Pé Torto Congênito
fevereiro 2, 2018
Pés para dentro
fevereiro 16, 2018

"Pernas tortas": qual é o limite da normalidade?


Se seu filho tem os joelhos mais afastados ou juntos e você tem dúvidas se é normal ou não, primeiramente é importante entender sobre o alinhamento natural das pernas.


A partir disso, a compreensão de que uma criança não é um adulto pequeno é essencial, pois as crianças têm proporções corporais diferentes, rotações corporais diferentes, além de alinhamentos corporais distintos dos adultos.
O corpo dos nossos filhos passa por fases ao longo da vida e é o entendimento dessas fases que faz com que sejamos menos invasivos em relação à várias características que nós tratávamos no passado com as famosas botas e palmilhas ortopédicas!
Neste artigo, eu explico tudo sobre Genu Varo e Genu Valgo, qual a diferença entre esses termos, tratamentos indicados e quando a deformidade está dentro ou fora do normal. Boa leitura!

O que é a perna torta? E por que isso acontece?


Quando o joelho se encontra mais próximo e os pés mais afastados, essa condição é chamada de genu valgo. Quando os joelhos se afastam, fazendo as pernas parecerem um alicate, chamamos de genu varo. O alinhamento dos joelhos pode variar de acordo com a idade da criança.

O termo médico "genu varo" refere-se à condição conhecida também como "pernas em alicate", que é bastante comum em crianças antes dos dois anos de idade. Em geral, todos os bebês já nascem com o genu varo. Nessa condição, frequentemente ocorre uma rotação interna dos pés associada, fazendo com que eles apontem para dentro.

Porém, isso vai se corrigindo ao longo do tempo, até cerca de dois anos de idade. Após esse período, o padrão tende a se inverter para genu valgo, conhecida como a “perna em X". Esse padrão pode piorar significativamente até os três ou quatro anos de idade, quando ocorre o pico da deformidade.

Após essa fase, a situação tende a melhorar novamente até cerca dos sete anos de idade. A partir desse momento, a criança geralmente terá o alinhamento das pernas semelhante ao de um adulto.

Quando devo me preocupar com a deformidade das pernas do meu filho?


Se a deformidade está fora da idade esperada, como por exemplo, se a criança tiver quatro anos e apresentar perna em alicate, sendo que o padrão normal seria a perna em X, pode ser preciso buscar ajuda médica. Se as crianças apresentam sintomas, como dores, dificuldade em fazer atividades físicas, também é necessário buscar um especialista.


Pacientes com outras comorbidades, como problemas renais, alguma síndrome genética, tudo isso chama a atenção para a necessidade de uma avaliação completa. É importante lembrar que a evolução dos pacientes sindrômicos pode ser diferente dos pacientes que não apresentem síndromes, problemas neurológicos ou genéticos. Logo, esse subgrupo de pacientes precisam de acompanhamento médico.


Se a família ou o pediatra tiverem dúvidas caso a deformidade seja muito grande, assimétrica, ou se o paciente apresentar sintomas, é imprescindível realizar uma avaliação com um ortopedista especialista.


Alterações sutis e simétricas nas pernas, com as quais o paciente não apresenta dor e são compatíveis com a idade, podem ser avaliadas por um pediatra. No entanto, se essas alterações persistirem após os oito anos, é necessário consultar um ortopedista pediátrico.

Condições associadas às pernas tortas


Algumas doenças como Raquitismo e a Tíbia Vara de Blount são responsáveis por causar desalinhamentos patológicos dos membros inferiores, dessa forma, merecem tratamento.


Dessa forma, pacientes com essas condições podem apresentar sintomas como:


  • Pernas arqueadas que pioram com o tempo
  • Dificuldade para caminhar
  • Dor nos joelhos ou nas pernas

Como ajudar seu filho nesses casos


Lembre-se que na imensa maioria das vezes, se o paciente possui uma deformidade que é compatível com a sua idade, ela irá se corrigir sem nenhum tipo de tratamento. E infelizmente não existem tratamentos sem cirurgias que são eficazes na correção das pernas tortas, ou que podem adiantar o processo. Nem palmilhas, fisioterapia ou botas ortopédicas conseguem fazer a correção. Caso elas não venham a se corrigir de maneira natural, fugindo da normalidade, a intervenção cirúrgica é o melhor caminho a depender da magnitude da deformidade.


Nestes casos, é possível avaliar o grau da deformidade e verificar se o padrão está de acordo com a normalidade. Existem muitos fatores que determinam a necessidade de cirurgia, mas isso requer uma avaliação detalhada. Caso seja necessária a intervenção cirúrgica, podem ser escolhidas técnicas minimamente invasivas para o alinhamento das pernas do seu filho.


Se seu filho apresenta alguma das deformidades mencionadas ou você tem notado sintomas anormais que o preocupam, procure Especialista em Ortopedia Infantil para uma avaliação e tratamento adequado.

O Dr. Luiz de Angeli é médico especializado em Ortopedia Pediátrica com PhD pela Universidade de São Paulo, e atua no tratamento de várias doenças e condições ortopédicas da infância, tanto para o seguimento clínico em consultório, quanto para a realização de procedimentos cirúrgicos. Atuando nos melhores hospitais de São Paulo (Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês, Hospital Nove de Julho, AACD, entre outros), seu consultório fica localizado no Núcleo de Ortopedia Especializada, onde o Dr. Luiz e toda sua equipe disponibilizam o melhor atendimento para o auxílio de seus pacientes.

Criança com Genu Valgo patológico.
Criança com Genu Varo patológico.